Coronel Cruz Fernandes – Uma notável história de vida (7)


 

Cap. VII – Cidadania

Os pontos mais marcantes da minha intervenção na área da cidadania prendem-se com a prolongada colaboração nos jornais regionais dos concelhos de Arcos de Valdevez e de Ponte da Barca, respectivamente o Notícias dos Arcos, o O Povo da Barca e Notícias da Barca, com a fundação e direcção da Associação dos Amigos da Penha (Adapenha) e com um mandato de deputado municipal independente pelo PS.

N´O Povoa da Barca fui colaborador durante mais de 20 anos, fui jornalista de Imprensa Regional, editor do Suplemento Alto Lima, Presidente da Comissão Comemorativa do Centenário de O Povo da Barca, e Director adjunto deste periódico.

No Notícias da Barca a minha colaboração estende-se já por 14 anos consecutivos, durante os quais mantive temas como o dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU), “Descobertas Invenções que Mudaram as Nossas Vidas”, “O que falta fazer…”, etc.

Em tipo menor apresenta-se uma lista dos artigos publicados só na década 1995/2005.

Lista de artigos publicados n “O POVO DA BARCA”:

Ano de 1995

Mês         dia          ano         n.º           pág.        – Título do artigo

Março      12             1995        6                PAG.!/3 –Plano Director Municipal (PDM) – Apreciação

Abril        9                “               8                Pág. Alto Lima – Separata: Ambiente- Pág. 2/3747677/8/11/13/14

Pág.3/4   – Britelo – Um futuro que promete (foto do primo pintor)

Pág.5       – Parque Nacional Peneda-Gerês

Maio        10             “               10             Pág. 1      – Barca Cultural – colaboração da Comissão

Maio        21             “               11             Pág.5       – Requiam por um Rio que morreu

Junho       4                “             12             Pág.2       – Avaliação do Cadastro Rústico do Concelho de Ponte da

“               Pág. 3      – Comemoração dos Descobrimentos Portugueses.

“               Pág. 4      – Paradamonte – Uma ponte sobre o tempo (Fala-se desde a recolha do lixo até ao tempo das vezeiras).

Junho       18             “               13             Pág. 3      – Serra Amarela – Um caminho para o passado.

Julho        16             “               15             Pág. 5      – Comissão para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses e as autarquias “Pivot” preparam actividades e coordenam iniciativas até 2000.

Julho        30             “               16             Pág. Alto Lima – Separata:- Editorial Pág. 1/4/5

–        II Morgados do Alto Lima dos Arcos e Barca Pág. 10

–        III Em terras de Vinho verde Pág. 14

“               Pág. 5      – Núcleo Museológico do Castelo de Lindoso

“               Pág. 1/5  – Susana Costa Quelha eleita Miss Dia de Portugal da área consular de Boston USA

Agosto    20             “               17             Pág. I       – A Casa do Concelho de Ponte da Barca em Lisboa faz o balanço ao passado e levanta padrões da sua ambição.

“               Pág. III   – Ana Margarida dos Santos Fernandes prepara exposição em Ponte da Barca – Entrevista muito boa!

“               Pág. V/VI – Como uma raça de altivos pastores nos tornamos servis e servidores. (Traz os limites territoriais entre Cidadelhe e Paradamonte).

Outubro  8                “               19             Pág. 2      – Lisboa na viragem do século

Outubro  22             “               20             Pág. 6/7  – Sagrada Escritura – (Os versos da minha Mãe).

Novembro5              “               21             Pág. 9      – Exposição colectiva de pintores do Alto Minho está entre nós.

“               Pág.6/7/8 –Romagem à volta do românico no Alto Lima (Fala também da evolução do castelo de Lindoso)

Novembro 19          “               22             Pág. 7/8  – Parque Natural (Um artigo que contém mapas, paisagens, humanização, circuitos turísticos, vias de acesso, etc.)

“               Pág. 10    – A Casa da Barca em Lisboa movimenta-se.

Dezembro 3              “               23             Pág. Alto Lima: Separata: Pág. 1 – Editorial

“               Pág. 8 Alto Lima: Rota de reis e palco da história.

“               Pág. 11    – Festa da Casa da Barca em Lisboa.

Dezembro 17           “               24             Pág. 2      – Comissão dos Descobrimentos aposta forte nas terras do Alto Lima.

“               Pág. 4      – Barquenses festejam 5º aniversário da Casa da Barca em Lisboa (Anunciada na 1ª Pág. de 3 de Dez. de 1995).

“               Pág. 6/7/8 –Exposição de arquitectura portuguesa da época dos

“               Pág. 8      – Portugal na Abertura do Mundo (Entrevista com Faria Paulino).

Dezembro 31           “               25             Pág. 4      – Adesão à candidatura de Jorge Sampaio (Eu também).

“               Pág. 4      – Pintora Ana Fernandes doa 151.000$00 aos Bombeiros Voluntários de Ponte da Barca provenientes da venda de parte dos trabalhos que expôs no Centro Cultural.

“               Pág. 4      – Comissão de Melhoramentos da Senhora da Penha deseja Boas festas.

“               Pág. 10    – Comissão de melhoramentos da Senhora da Penha presta

Ano de 1996

Mês         Dia         Ano         N.º            Página    – Assunto

Janeiro     15             1996        1                Pág. 6/7  – Santiago de Compostela I

Fevereiro 11            “               4                Pág. 2      – Santiago de Compostela II

“               Pág. 2      – Lisboa com um pé no Séc. XXI. EXPO. 98, Ponte Vasco da Gama, e agora a TV Cabo

Março      24             “               6                Pág. Alto Lima: Pág1 e Separata: (Conta a História de Macau)

Abril        7                “               7                Pág.3       – Secretário de Estado preside a colóquio sobre as áreas protegidas com associações de defesa do ambiente e universidades em Paradamonte.

“               Pág. 5/8  -EXPO 98 – O maior empreendimento português deste século.

Abril        21             “               8                Pág. 6/7  – Via XVIII de Itinerário Antonino, na Serra do Xurês Gerês

Maio        5                “               9                Pág. 5      – Ouvindo um Barquense na Assembleia da República – António Dias

Maio        19             “               10             Pág. 7      – Alto Lima – Um espaço de análise de assuntos actuais.

Junho       2                “               11             Pág. 7      – ? Alto Lima – Uma espaço de análise de assuntos

Junho       17             “               12             Pág. 3      – Resíduos sólidos urbanos.

Junho       30             “               13             Pág. 6      – Venha d onde vier a promessa, Tito Costa é o devedor.

“               Pág. 6      – A servidão não acabou!

“               Pág. 6      – A verdade manda Deus que se diga: Adapenha agradece à EDP, PNPG Vieira da Silva.

Julho        17             “               14             Pág. 5      – Tito Costa. Exonerado por não ser “Yes men”.

“               Pág. 6/7  – O coração da Barca palpitou em Lisboa no 5º almoço da Casa da Barca (muitas fotos com os nomes dos sócios).

“               Pág. 5      – Comemoração do Dia de Portugal nos USA (Artigo da Maria)

Julho        31             “               15             Pág. 5      – A Comissão dos Descobrimentos e as Entradas régias.

“               Pág. 5      – São Bartolomeu patrono da Vila da Barca.

“               Pág. 6/7  – Fortalezas de Macau – Seu desenho e sua história (Importante)

Setembro 22              “               17             Pág. 1      – Editorial – Bombeiro: Uma forma de ser franciscano.

“               Pág. 8      – Senhora da Penha esteve em festa. Tópicos históricos.

“               Pág. 8      – Director do PNPG toma posse – Paulo Castro.

“               Pág. 9      – O sinal do Gião chegou tarde e não é bom.

“               Pág. 9      – Concelho da Barca à espera do martírio do fogo.

“                                 – Cadastro Rural

Outubro13               “               18             Pág. 6B   – São Martinho de Tour e de Dume. Práticas populares em

“               Pág. 10    – PNPG reúne com os caçadores de Britelo e São Miguel.

Outubro 27              “               19             Pág. 5      – Anabela Fernandes no Massachusetts Institute of Technology

“               Pág. 5      – Mário Barros Pinto. Carta à família pela sua morte.

Novembro 10           “               20             Pág. 2      – Em Cambridge USA Adapenha afirma-se e expande-se.

Dezembro 8              “               22             Pág. 1/6/7- Alto Lima – Somos Filhos de Deus Menor- Convénio hidrográfico Ibérico; Teresa Andresen e os seus falhanços; Auto-estradas; Aborto; Estátua do II milénio a.C.; Dr. Manuel Joaquim Gonçalves ( a minha dívida pessoal).

“               Pág. ?      – A casa da Barca em Lisboa promove tradicional

Dezembro22            “               23             Pág. 6      – Alto Lima: Tito Costa ; Santa Luzia de Paradamonte.

“               Pág. 7      – São Miguel de Entre Ambos os Rios.

Ano de 1997

Mês        Dia        Ano        N.º            Página     – Assunto

Janeiro     5                1997        1                Pág. 5      – Georges Duby      Um historiador comprometido com o seu tempo

Janeiro 19                 “               2                Pág.5       – Alto Lima – Conversa com o Deputado António Dias;

“               Pág. 8      – Morreu Carl Sagan – Um daqueles homens em quem poder não tem a morte.

Fevereiro 2               “               3                Pág. 6      – Alto Lima: Comissário vai, comissário vem; Afirmações da Ministra do Ambiente em Lindoso; Outra vez o aborto.

“               Pág. 6/7  – Justiça portuguesa – Sector em crise.

Fevereiro 16            “               4                Separata Alto Lima: Editorial; Macau, de porta da China a último bastião do ciclo do Império.

“               Pág.6       – Como se fabrica uma injustiça fiscal.

Março      2                “               5                Pág. 7      – Alto Lima – Por ocasião dos 98 anos do Povo da Barca.

Março      16             “               6                Pág. 7      – Alto Lima: Troço Paradamonte-Cidadelhe talvez ainda este ano; IC 28, antes do ano 2000 nem pensar;

“               Pág. 7      – Homenagem póstuma a Rómulo de Carvalho/António Gedeão

Março      30             “               7                Pág. 7      – Alto Lima: IC 28- Um bem ou mal para as populações do vale superior do Lima? ; É ou não é desta vez que o troço Paradamonte-Cidadelhe é concluído?

“               Pág. 7      – Dia Mundial da Árvore. Paulo Castro, Director do PNPG na Penha.

Abril        13             “               8                Pág. 7      – Alto Lima: Dia Mundial da Árvore nos Montes da Penha

Abril        27             “               9                Nada meu

Maio        25             “               11             Pág. 4      – Alto Lima: Britelo II – Da origem aos nossos dias (Continuação)

Junho       8                “               12             Pág. 6     – Britelo III Da origem aos nossos dias.

“               Pág. 6      – Lindoso, o castelo e a região

“               Pág. 7      – Adapenha presta contas

Junho   22                 “               13             Pág. 3      – Alto Lima: Santo António da Paradamonte;

“               Pág. 5      – Limites territoriais da Freguesia de Britelo;

Julho        6                “               14             Pág. 6/7  – Alto Lima: S. João ( o Baptista).

Julho   20                 “               15             Nada meu

Agosto    3                “               16             Nada meu

Agosto 22                “               17             Pág. 7      – Alto Lima: Alimentos Transgénicos

Setembro 21             “               18             Pág. 6/8  – Alto Lima: Alinhamentos políticos e poder autárquico.

“               Pág. 6      – Regionalização: Sim ou não?

Outubro                    5                “               19             Pág. 3      – Cabral de Oliveira parte para a corrida às municipais.

“               Pág. 7      – Alto Lima: A propósito dos filhos da terra …

“               Pág. 7      – Regionalização. É precisa?

Novembro 16          “               22             Pág. 5      – Alto Lima: A Clarificação necessária; A propósito de “Quem está com o governo mama, quem não está não cheira”.

Novembro 30          “               23             Pág. 3      – Alto Lima: A Barca que todos amamos é uma barca à deriva;

“               Pág. 9      – Alto Lima: A IC 28, a Central de camionagem e os acessos ao Campo Grande; A estrada Barca- Lindoso; O Dr. Marcelo (PSD) negou-nos a igualdade perante a lei das portagens. Que havemos de negar-lhe quando for ele a pedir?

Dezembro 15           “               24             Pág. 7      – Alto Lima: A Barca que todos amamos é uma barca à deriva; Homem: Abre os olhos e verás! Resultados das eleições.

Ano de 1998

Mês         Dia       Ano         Número  Página    Assunto 

Janeiro     11           1998        1                Pág. 10    – Alto Lima: Sede social da Casa da Barca em Lisboa já é uma realidade.

  1. 8               “               3                Pág. 7      – Alto Lima: Isto é um centro de saúde?

–                                                     “               “               – Telecom junta-se ao consumismo sem ética;

“               “               – EXPO 98- Ministro da Educação leva escolas Exposição.

  1. 22             “               4                Pág. 7      – Alto Lima: EXPO 98 – O seu comissário na Ordem dos

Março        8                “               5                Pág.7       – Alto Lima: Os caminhos da EXPO;

“               “               – A moeda Única europeia;

Março      22             “               6                Pág. 6      – Alto Lima: Os caminhos da EXPO 98

Abril        5                “               7                Pág. 7      – Festa da Árvore comemorada pelas crianças numa festa da Adapenha.

“               Pág. 9      – Alto Lima: EXPO 98 – Plataforma giratória do Poder

Abril        19             “               8                Pág. 5      – Casa da Barca em Lisboa sofre obras de adaptação.

“               Pág.6       – Alto Lima:- EXPO 98 (Continuação da Anterior).

“               – Assim, sim!…Assim, não.

Maio        17             “               10             Pág. 5      – Alto Lima: Casa da Barca em Lisboa;

“               – Para a Barca recordar;

“               – Famílias ilustres são notícia.

Maio        31             “               11             Pág. 6      – Alto Lima: A Barca tem Morte anunciada (IC28)

Junho       14            “               12             Pág. 6      – Alto Lima: Troço de estrada Paradamonte- Cidadelhe.

“               – Pólo industrial (Um estudo de custos)

Junho       28            “               13             Pág. 6      – Na esteira de um importante caminho de Santiago (Terras de Nóbrega – Um caminho revisitado).

Pág. 7      – Fogos florestais – Previsão e combate.

Julho        27            “               15             Pág. 6      – Capa e Alto Lima: Casa da barca em Lisboa: Contas

Pág. 7      – Vamos à EXPO 98?

Agosto    19             “               16             Pág. 7/8 – Alto Lima: São Pedro Faz das suas no Rio Vade;

– Britelo – Uma freguesia ao acaso;

– A água que se (não) consome na Barca.

Setemb. 20                “               17             Pág. 1/7  – Editorial

Pág. 6      – Alto Lima: São Bartolomeu – A festa maior do povo Barquense;

Pág. 7      – EXPO 98 – Mensagens trazidas pelas diferentes nações;

Outubro  4               “               18             Pág. 7      – Alto Lima: Informação da Freguesia de Britelo do concelho de Ponte da Barca de 9 de Maio de 1758.

Novemb. 1                “               20             Pág. 7      – Alto Lima: Casa da Barca em Lisboa inaugura a sede

– Potencialidades do discurso do Ministro João Cravinho;

– Pelas estradas do concelho.

Novemb. 15             “               21             Pág. 5/6/7/8- Alto Lima: Casa da Barca em Lisboa inaugura a sede Social (Reportagem do acto com fotos)

Novemb. 29             “               22             Pág. 7      – Alto Lima: Avaliação pedagógica dos docentes;

– Acidentes, responsáveis e segurança rodoviária.

Dezembro 25           “               23             Pág. 6      – Alto Lima: Na senda dos Caminhos de Santiago.

Ano de 1999

Mês          Dia        Ano         Número  Página    – Assunto

Janeiro        21         1999        1                Pág. 6/7  – Alto Lima: Assembleia Municipal;

– Plano Director das Zonas e pólos Industriais;

– Plano de Ordenamento das Albufeiras de Touvedo e Lindoso ( em nome da Adapenha);

Fevereiro 6               “               2                Pág. 1      – Anexo: Comissão Executiva do Centenário de “O Povo da Barca”. Eu sou o Coordenador.

Pág. 13    – O Centenário d”O Povo da Barca”.

Fevereiro 21            “               3                Pág. 4      – Alto Lima: Plano de Ordenamento das albufeiras de Touvedo e Lindoso (POTAL)- Um processo ainda em aberto.

Março      7                “               4                Pág. 4      – Comemorações Centenárias do Povo da Barca – Comissão Executiva.

Pág.6       – Dia Mundial da Árvore em Britelo e Lindoso.

Março 21                  “               5                Pág. 5/6  – Alto Lima: Centro Histórico da Barca – A propósito de um colóquio promovido pelo GTL;

– Lampreias cada vez menos. Pescadores culpam açude de Ponte do Lima;

– Polidesportivo municipal – Um bem que requer cuidados;

– Assembleia da casa da Barca em Lisboa constituiu um acto social de grande importância;

– Outra vez o troço Paradamonte – Cidadelhe da IC 28.

Abril        4                “               6                Pág. 3      – Dia mundial da Árvore celebrada pelos “Amigos da Penha” e Escolas do projecto Lethes.

Abril        25             “               7                Pág. 7      – Festa da Lampreia na casa da Barca em Lisboa.

Maio        2                “               8                Pág.6       – Para mim festejar Abril é perseguir a utopia. Intervenção a propósito dos 25 anos do 25 de Abril, como deputado do PS Barquense.

Maio        16            “               9                Pág. 6/7  – Alto Lima: Ponte da Barca foi estrela no programa da RTPI;

–        Ao Celebrarmos o 1º Centenário da Imprensa;

–        Medalha de Honra do Município para “O Povo da Barca”

Maio        30             “               10             Pág. 7/8  – O Povo da Barca recebeu publica homenagem de Concelho pelo seu Centenário;

Pág. 9      – Extractos das intervenções;

Pág. 12    – Uma visita muito oportuna de Carlos Lage à Adega de Ponte da Barca;

Pág. 14   – Alto Lima: Asias, uma freguesia em revista.

Junho 13                   “               11             Pág. 6/7  – Alto Lima: Asias, uma freguesia em revista;

Pág. 10   – A Casa da Barca em Lisboa vai ser a embaixada da barca nas Festas da Cidade .

Julho        11             “               13             Pág. I/II   – Alto Lima: Capa e Pág. I/II: IC 28, uma obra merecida e necessária com um nome caricato.

– Lindoso na Rota do Tempo I.

Julho        25             “               14             Pág. 6/7  – Alto Lima: Lindoso na Rota do tempo II.

Agosto    8                “               15             Pág. 6/7  – Alto lima: Lindoso na Rota do Tempo III.

Agosto    19             “               16             Pág.12     – Romaria da Senhora da Penha (Festa da Adapenha).

Pág. 16    – Festa de S. Bartolomeu, advogado dos medos;

Pág. 16    – Diálogo da barca com os seus rios passa por….;

Pág. 16    – A construção da Capela da Senhora da Penha ocorreu depois de 1656 e antes de 1707;

Pág. 17    – Alto Lima: Lindoso na Rota do tempo IV.

Setemb.    12             “               17             Pág. 10    – Alto Lima. Lindoso na Rota do tempo V: – Festividades de Nossa Senhora da Penha

Outubro  5                “               18             Pág. 6/7  – Alto Lima: Lindoso na Rota do Tempo VI.

Novemb.18              “               21             Pág. 6/7  – Casa da Barca em Lisboa – Um ano de actividade.

Dezemb. 2                 “               22             Pág. 3      – Capa Comemorações centenárias do Povo da barca;

Pág. 3      – Caminhos de Santiago Jubileu do milénio;

Pág. 6/7  – Alto Lima: Lindoso na Rota do Tempo VI (Bis).

Dezemb.16               “               23             Pág. II      – Adapenha – Boas festas

Pág. 5      – Encontro de Associações no Lindoso

Pág. 6      – Adapenha – Festa da Associação

Pág. 7      – Alto Lima: Lindoso na Rota do tempo VII.

Pág. 10    – Falecimento do Tio António no Brasil.

Ano 2000               

Mês          Dia        Ano         Número  Página    – Assunto

Janeiro        13         2000        1                Pág. 7/8  – Alto Lima: Lindoso na Rota do Tempo.

Pág. 13    – Norte mais fraco Perde Poder

Janeiro     27             “               2                Pág. 6      – Norte mais fraco Perde poder II

Pág. 6/7  – Doença das vacas loucas

Pág. 7      – Transgénicos.

Fevereiro 10            “               3                Pág. I       – Comemorações centenárias do Povo da Barca.

Pág. II      – Ligação por estrada da Vila da Barca à fronteira da Madalena;

Pág. II,III,IV,V,VI e VII.- O Povo da Barca, paladino dos interesses locais.

Fevereiro 24            “               4                Pág. I/II   – Lindoso na Rota do tempo IX.

Pág. 7      – O Povo da Barca nas comemorações centenárias (História da inauguração da luz eléctrica);

Março      9                “               5                Pág. 6/II  – Intervenção na Assembleia Municipal sobre pólos

Pág. 8      – Livro da Conspiração Solar do Padre Himalaya.

Ano 2001               

Mês          Dia        Ano         Número  Página    – Assunto

Janeiro     25             2001        2                Pág. 4      – Alto Lima: Eleições, na minha opinião;

Pág. 5      – Ainda as Cheias da Barca;

Pág. 8      – A propósito do esclarecimento do Presidente da Câmara sobre as cheias.

Fevereiro 8               “               3                Pág. 13    – Alto Lima: Os perigos do Urânio (bombardeamentos do Kosovo – América .. América)

Fevereiro 22            “               4                Pág. 5      – Alto Lima: Executivos monocolores

Março      22             “               6                Pág. 2      – Adapenha – Dia Mundial da Árvore 2001;

Pág. 7      – Casa da Barca em Lisboa – Importante centro de confraternização em Lisboa;

Abril        8                “               7                Pág. 2      – A propósito de uma atoarda. Esclarecimento;

Abril        20             “               8                Pág. 2      – Notícia do IV Congresso Nacional de Colectividades de Cultura, Recreio e Desporto;

Pág. 7      – Das notícias dos jornais: Aplauso e reprovação;

Maio        18             “               10             Pág. 5      – Alto Lima: Feira Mostra de Ponte da Barca;

Pág. 5      – Associação concelhia das festas de São Bartolomeu;

Pág. 5/14- Desenvolvimento do vale do Lima:

Junho       1                “               11             Pág.          – Alto Lima: Carta aberta a Susana Braga;

Junho       15             “               12             Pág. 4      – Paradamonte Britelo: Casamento (Laranjeiro).

Pág. 8      – II Congresso do Vale do Lima (Importante).

Julho        13             “               14             Pág. 6      – Casa da Barca em Lisboa – Câmara um entrega cheque de 3 000 contos.

Pág. 9/10 – Alto Lima: Lindoso Medieval (Feira).

Agosto    16             “               16             Pág. 6/7  – Alto Lima: Ruído e outros Flagelos;

– O Cow boy à lusitana;

– Festas de S. Bartolomeu – festas concelhias;

– Saudação especial da Adapenha a todos os conterrâneos residentes e emigrantes;

Pág.6/10                   – O dia-a-dia do civismo sem carro.

Mudança da aspecto do Jornal e da paginação

Ano 2001

Mês          Dia        Ano         Número  Página    – Assunto

Setembro 30             CII            1                Pág. 3      – Obrigado meu Deus pelo país que me deste;

Pág. 5      – Reunião ensombrada pelo diferendo entre a Câmara e o Centro Cultural;

Pág. 8      – Britelo –Lindoso, uma casamento que vai deixar memória.

Outubro  10             “               2                Pág. 6/9  – Entrevista sobre a Adapenha – Assinada por Carlos Lourenço.

Pág. 7      – Missa Campal para inauguração do Palco da Adapenha;

Pág. 9      – Participação inesperada numa vindima minhota.

Novembro 20          “               6                Pág. 3      – Casa da Barca em Lisboa festeja 9º aniversário;

Pág. 5      – Bartolomeu dos Mártires, Homem de Deus e dos lugares por onde esteve (1514 – 1590).

Novembro 30          “               7                Pág. 3      – Novo código da estrada – Cuidado com as surpresas.

Dezembro 10           “               8                Pág. 3      – Adapenha: Assembleia Geral: Contas de 2000 e Actividades para 2001.

Pág. 7      – Campelo. Presidente da Câmara por lista independente.(Muito Ruído em tempo de votos).

Dezembro 20           “               9                Pág. 5      – Considerações em torno de um terramoto político.

Pág. 7      – Osama bin Laden

Dezembro 30           “               10             Pág. 2      – Solidariedade social – Rendimento mínimo garantido.

Pág. 7      – Osama bin Laden II

Pág. 8      – Autarquias. Considerações…

Pág. 8      – No Jobs for The boys

Pág. 8      – A propósito de “Porque devemos mudar de Presidente da Câmara” do D.r Eduardo Cruz.

 

Ano de 2002

Mês         Dia         Ano         Número  Página    Assunto

Janeiro     10             CII            11             pág.4        – Intervenção na Assembleia Municipal (28Dez2001)

Janeiro     20             “               12             Pág. 3      – O próximo governo deve resultar de uma maioria Inequívoca.

“               Pág. 5      – Osama Bin Laden II

Janeiro 30                 “               13             Pág. 7      – Plano de construção de um canal no Rio Lima desde o Carregadouro a Ponte da Barca.

“               Pág. 8      – Bin Laden IV

Fevereiro 10            CIII           14             Pág. 6      – A propósito das jornadas da Santa Casa da Misericórdia. (Revela-se um documento importante)

Fevereiro 20            “               15             Pág. 3      – Carta a um amiga que encontro por aí..

Fevereiro 28            “               16             Pág. 5      – Cheias do Rio Lima

“               Pág. 5      – Exposição humana às radiações electromagnéticas das comunicações móveis: – Perigo ou fantasia?

“               Pág. 8      – Finalmente Sabimbi morreu…

Março      10             “               17             Pág. 8      – Carta a um amigo que encontro por aí IV

Março      20             “               18             Pág. 1      – Dia mundial da Árvore 2002

“               Pág. 4      – Eleições – No rescaldo de umas memoráveis eleições

“               Pág. 5      – Casa da Barca em Lisboa – Almoço da Lampreia.

“               Pág. 5      – Se… (polémica do Centro Cultural)

Março      30             “               19             Pág.1/ 6  – Dia Mundial da Árvore 2002. Montes da Penha

Abril        10             “               20             Pág. 5      – Algo está a mexer no vetusto edifício dos Paços do Concelho                 .

Abril        20             “               21             Pág. 5      – Contribuição para o conhecimento da pequena história local (Britelo).

“               Pág. 6      – Défice português, um cavalo de Tróia laranja granjear o poder virou-se agora contra os seus promotores.

Abril        30             “               22             Pág. 7      – Casa da Barca em Lisboa intervém no desporto.

Maio        30             “               25             Pág. 8      – O Poder Local deu tolerância zero à ministra Ferreira

Junho       20             “               27             Pág.9       – Santo António do Buraquinho, faz milagre: – Traz o Centro Cultural de volta!

“               Pág. 9      – Casa da Barca em Lisboa realiza Assembleia Geral em fins do mês de Junho.

“               Pág. 9      – Justo, merecido, oportuno… (Elogio ao Cheninho).

Julho        30             “               31             Pág. 8      – Há muitas maneiras de fazer as contas para o estacionamento subterrâneo das Fontainhas

“               Pág. 8      – São Bartolomeu da Barca (Quadras).

“               Pág. 9      – Assembleia Geral da Casa da Barca em Lisboa 2002.

Agosto    15             “               32             Pág. 2      – São Bartolomeu da Barca (Quadras) – 2ª edição

“               Pág. 3      – A culpa, na Barca, Não! (Quadras).

“               Pág. 8      – Cada ano em Agosto todo o Minho está em festa.

“               Pág. 8      – Centro Cultural … E agora?

Agosto    30             “               33             Pág. 2      – São Bartolomeu (Versos)

“               Pág. 4      – São Bartolomeu. Participação da Casa da Barca em Lisboa com a Revista à Portuguesa.

“               Pág. 4      – No rescaldo de uma grande festividade

Setembro 20             “               34             Pág. 4/5  – América…América

“               Pág.5       – Quadras do meu Rio Lima.

Outubro                    10             “               35             Pág. 10   – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil I

Outubro  20             “               36             Pág. 8      – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil II

Outubro                    30             “               37             Pág. 13    – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil II (bis)

Novembro 10          “               38             Pág. 8      – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil III.

Novembro 20          “               39             Pág.11     – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil III (bis)

Novembro 30          “               40             Pág.10     – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil IV

Dezembro 10           “               41             Pág. 5      – As Fontainhas e as opiniões vindas a publico na imprensa local..

“               Pág. 13    – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil IV(bis)

Dezembro 30           “               43             Pág. 9      – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil V

 

Ano de 2003

Mês         dia         Ano, número, Pág. do Jornal              Nome do “Artigo”

Janeiro 10                 “               44             Pág.9       – Carta Aberta ao presidente Bush

Janeiro 20                 “               45             Pág. 9      – O Império tira a máscara. A Europa e o Mundo parecem anestesiados!

Fevereiro 10            “               47             Pág.9       – O Império tira a máscara III

Fevereiro 20            “               48             Pág. 12    – Respigos de imprensa

Março      20             “               51             Pág. 13    – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil VIII

Março      30             “               52             Pág. 7     – Montes da Penha. Dia Mundial da Árvore. 6º Ano consecutivo.

“               Pág. 8      – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil VIII(Bis).

Abril 10                    “               53             Pág. 6/7  – Caverna de Silêncios

“               Pág. 12    – Impressões de uma viagem à terra do Pau Brasil VIII (bis)/(Bis).

“               Pág. 12    – O fogo amigo.

“               Pág. 12    – Os Homens da aparelho (político).

Abril 20                    “               54             Pág. 9     – O Império tira a máscara (Continuação de 20 de Janeiro)

Abril 30                    “               55             Pág. 14    – O Império tira a máscara.

Maio 10                    “               56             Pág. 2      – Caverna de Silêncios II

Maio        20             “               57             Pág.2       – Lisboa da minha janela

“               Pág. 14    – Novo regime de tributação do património imobiliário.

Junho       20             “               60             Pág. 10    – Fronteiras do Brasil. Desde Alcáçovas até ao último tratado de Limites.

Junho       30             “               61             Pág. 8/12- Travessia da barca- Reconstituição histórica.

“               Pág. 13    – Britelo cumpre uma tradição milenar, tirando um dia para fazer as cabanas

“               Pág. 14    – Fronteiras do Brasil. Desde Alcáçovas até ao último tratado de Limites

Julho        10            “               62             Pág. 5      – Ponte da Barca, condoída e em recolhimento, prestou homenagem a Maria Júlia Machado de Sousa.

“               Pág. 8      – Fronteiras do Brasil. Desde Alcáçovas até ao último Tratado de Limites.

Julho        30            “               64             Pág. 9      – Fronteiras do Brasil. Desde Alcáçovas até ao último Tratado de limites

Agosto    20             “               65             Pág. 5      – Festas de São Bartolomeu. Festas do Concelho.

Setembro 30             “               67             Pág. 10    – A propósito da Reconstituição histórica da travessia de Ponte da Barca – Resposta ao Dr. Santa com outros dados para a história da Barca.

Outubro  20             “               69             Pág3        – Barca – Paraíso escondido ou tesouro revelado?

“               Pág. 5      – Um olhar sobre a Barca, ressaltando certos temas.

Outubro 30              “               70             Pág. 5      – Comunidade Urbana do Vale do Lima e o que está por trás das disputas que aí andam.

Novembro 20          “               72             Nada meu

Novembro 30          “               74?           Pág. 10    – Impressões de uma viagem por terras do Brasil cultural I

Dezembro 10           “               74             Pág. 9      – Impressões de uma viagem por terras do brasil cultural II

Dezembro 20           “               75             Pág. 11    – Impressões de uma viagem por terras do Brasil cultural

“               Pág. 5      – Saudações de Natal da Adapenha

Dezembro 30           “               76             Pág. 9      – Impressões de uma viagem por terras do Brasil cultural

Ano de 2004

Mês         dia         Ano, número, Pág. do Jornal              Nome do “Artigo”

Janeiro 10                 CIII           N.º 77      Pág.8       – Impressões de uma viagem por terras do Brasil Cultural

Janeiro 20                 “               78             Pág.8       – Mensagem de Natal da Adapenha

“               “               Pág.9       – Impressões de uma viagem por terras do Brasil Cultural

Janeiro 30                 “               79             Pág.6/7   – América, América

“               Pág. 7      – O burro do inglês ou a moral da história.

Fevereiro 10            “               80             Pág. 3      – Gente gorda ou mistura explosiva.

“               Pág.10     – Impressões de uma viagem por terras do Brasil cultural VI .

Fevereiro 20            “               81             Pág.12     – Impressões de uma viagem por terras do Brasil cultural

“               Pág. 13    – América – Liderança ou domínio?

Fevereiro 29            “               82             Pág. 4      – Adapenha – Dia Mundial da Árvore 2004

Março 10                  “               83             Pág. 4/5  – Adapenha – Dia Mundial da Árvore 2004

Março 20                  “               84             Pág. 8/9  – Dia Mundial da Árvore 2004 – Sétimo ano consecutivo.

Março 30                  “               85             Pág. 6      – Adapenha – Comemorações do Dia da Árvore

“               Pág. 12    – Adapenha – Dia da Árvore 2004.

Abril 10                    “               86             Pág. 10    – Adapenha – Dia Mundial da Árvore.

Abril 20                    “               87             Pág. 5      – Adapenha – Dia Mundial da Árvore 2004 – Trabalhos das

Abril 30                    “               88             Pág. 13    – As coisa que eu vejo acontecer na nossa terra.

Maio 10                    “               89             Pág. 9      – Impressões de uma viagem por terras do Brasil cultural

Maio            20         “               90             Nada meu

Maio 30                    “               91             Pág. 8      – Impressões de uma viagem por terras do Brasil cultural VIII (por erro este VIII está repetido. Devia se IX).

Junho 10                   “               92             Pág. 10    – Comemora-se no dia 5 de Junho o Dia Mundial do Ambiente. Esta data serve para reflectir sobre o modo como os autarcas têm servido as causas do Ambiente.

Junho 20                   “               93             Pág. 8      – Ambiente de festa numa manhã dedicada ao Ambiente

Junho 30                   “               94             Pág. 5      – Adapenha termina a sua campanha de sensibilização ambiental com a publicação na comunicação social dos trabalhos premiados.

Julho 20                    “               96             Pág. 9      – Direito à memória colectiva. O Conde da Barca

“               Pág. 10    – Impressões de uma viagem por terras do Brasil cultural

X:

Agosto 2                  “               97             Pág. 5      – Portugal à espera do fogo

“               Pág. 9      – Impressões de uma viagem por terras do Brasil cultural X.(Está errado. Devia ser XI).

Agosto 20                “               98             Pág.9       – Festa de São Bartolomeu. Semana Santa do Concelho.

Setembro 2               “               99             Pág.10     – Impressões de Uma viagem por terras do Brasil Cultural XI

Setembro 24             “               100           Nada meu

Outubro 10              “               101           Pág. 8      – Falhanço na colocação dos professores afundou ainda mais a já frágil credibilidade do governo de Santana Lopes.

“               Pág. 9      – Impressões de uma viagem por terras do Brasil cultural

Outubro 20              “               102           pág.4        – O peso dos media na divulgação da cultura e nos valores que criam a divulgam. Para uma cultura científica e para uma cultura das artes.

Outubro 30              “               103           Pág. 5      – Uma noite cultural no auditório da APRALIMA que merecia casa cheia.

Novembro 10          “               104           Pág. 7      – Ponte da Barca celebra o 491º aniversário do Foral Novo com uma noite cultural como há muito não se via.

Novembro 30          “               106           Nada meu

Dezembro 10           “               107           Pág. 8      – Em nome da divulgação científica. Contra os valores que os media criam e divulgam.

Dezembro 20           “               108           Pág. 13    – Pela ciência e pela divulgação científica. Rómulo de Carvalho um expoente de meados do século passado na divulgação científica.

Dezembro 30           “               109           Pág. 10    – Pela ciência e pela divulgação científica. António Gedeão um poeta da ciência.

Ano de 2005

Mês         dia         Ano, número, Pág. do Jornal              Nome do “Artigo”

Janeiro     10            CIII –   111             Pág. 7     – Sócrates Sim! Sócrates assim, assim!

“               “               “               – Desvios éticos. Choques necessários.

“               14            “               “               Pág.5       – Ser Poder na Hora que passa

Fevereiro 11            “               112           Pág.7       – Babilónia, cidade lendária, está a ser destruída por um exército bárbaro, em nome do Ocidente

112           Pág. 8      – O Povo da Barca faz 106 anos

112           Pág. 8      – Nestas eleições, perder já perdi. Preciso minimizar os danos. Por isso vou votar.

Fevereiro 25             “               113           Pág. 11    – Rancho folclórico de Ponte da Barca, um toque de cultura na festa do Fim de Semana da Lampreia.

Março      25             “               115           Pág. 8/13 –Dia Mundial da Árvore junta na Penha professores e alunos do 1º Ciclo de todo o Concelho . Infantários também lá estavam.

Abril        8                “               116           Pág.5       – Morreu João Paulo II

“               “               Pág.7       – Britelo tem mais um caminho rural em Paradamonte

“               “               Pág13      – A Terra não suportará muitas mais gerações de predadores como a nossa

Maio        6                “               118           Pág.12     – Adapenha – Educação Ambiental 2005 – Resíduos

“               Pág,17     – Habemus papam

Maio        20             “               119           Pág. 12/13-Transgénicos entre nós

“               “               “               Pág.13     – PS/CDS/PP preparam-se para ganhar o poder

“               “               “               “               – Se eu quiser, Se tu quiseres…

“               “               “               “   15      – Adapenha –Educação Ambiental 2005 – Resíduos

Junho       3                “               “               Pág.4       – Cabral de Oliveira recebe a Consagração

“               “               120           Pág.6       – Políticas Locais

“               “               “               Pág.11     – Adapenha Campanha de Educação Ambiental 2005

Junho       17             “               121           Pág.11     – Universidade do Saber

“               “               “               Pág.14     – Políticas Locais

Julho        15             “               123           Pág. 6      – Marques Mendes apresentou o seu candidato às autárquicas em Ponte da Barca

Julho        29             “               124           Pág. 10    – Adapenha – Educação Ambiental – Visita à Resulima

“               “               “               Pág. 12    – Políticas Locais – O Alto Minho é mais pequeno, Viana é logo ali.

“               “               “               Pág.14     – História local. O Último Alcaide-mor do Lindoso e morgadio de Britelo.

Agosto    17             “               125           Pág.9/11                   – Festa de São Bartolomeu : Faz 80 anos que a Barca inaugurou a Luz Eléctrica.

Setembro 1               “               126           Nada meu

Setembro28              “               127           Nada meu

Outubro 14              “               128           Pág.4       – Desfolhada de Lavradas, um cartaz turístico de tamanho Nacional

“               “               Pág. 5/6 – Vila Nova de Muía inaugura a Sede da Junta de Freguesia num espaço plurifuncional.

“               “               Pág. 6      – Políticas Locais

Outubro  28             “               129           Pág.7       – Políticas Locais

Novembro 25          “               131           Pág.8/9   – Mário Soares entre nós

Dezembro 9              “               132           Pág.8/9   – Viagem pelos caminhos de Portugal Histórico

Dezembro 24           “               133           Pág.13     – Viagem pelos caminhos de Portugal Histórico

 

No Noticias dos Arcos colaborei durante 11 anos, onde recolhi um naipe de leitores atentos a apreciadores.

Sócio do Club de Campismo de Lisboa (CCL) e membro do Conselho Consultivo durante vários mandatos.

Sócio fundador da Casa do Concelho de Ponte da Barca em Lisboa e presidente do Conselho Fiscal durante vários mandatos.

Membro efectivo da Ordem dos Engenheiros desde 1970, com o número 10328.

Sócio fundador e presidente da Direcção, desde a sua fundação, da Associação dos Amigos da Penha (Adapenha), onde com outros desenvolvo uma actividade de intervenção ambiental, cultural e patrimonial.

O tema dos RSU estendeu-se a dois anos escolares durante os quais promovi sob orientação da Agência Portuguesa do Ambiente e a colaboração do Agrupamento de Escolas e da Autarquia verdadeiras campanhas de educação ambiental e alguns concursos entre os quais o “O Limpião.”

O concurso “O Limpião” estendeu-se a todas as 23 escolas do 1.º Ciclo e infantários e foi assim concebido: Os RSU, vulgo Lixo é uma responsabilidade de todos e separá-lo é connosco, isto é, com aqueles que o fazem. Assim sendo vamos aprender a separá-lo.

Fig63 - ADAPENHA - Dia da àrvore na Adapenha

Fig63 – ADAPENHA – Dia da àrvore na Adapenha

Acordado o princípio, a Adapenha publicou nos jornais locais os textos de base que eram distribuídos às escolas. Os professores do Primeiro Ciclo do Ensino Básico baseavam-se neles para conduzir as suas aulas de Educação Ambiental.Na fase seguinte, a Adapenha, com um delegado da Resulima (empresa supra-municipal de tratamento de resíduos sólidos urbanos), Promoveu uma ronda pelas escolas onde projectou filmes e slides, fez perguntas e tirou dúvidas.

O Concurso incluiu o desenho de Limpiões (bonecos) e escrever frases referentes à protecção ambiental. As fases e os desenhos foram classificados. O melhor desenho e a melhor frase foram escolhidas para cobrirem as partes laterais dos camiões concelhios de recolha dos lixos. O primeiro prémio incluía uma colecção de livros de pintura e estojos de desenho. Além disso, os melhores dez tiveram uma viagem ao Porto com passeio no Douro e visita guiada à Casa da Música e outra à Resulima, onde puderam apreciar o tratamento posterior dos resíduos sólidos. Todos os trabalhos produzidos pelos alunos foram objecto de publicação na revista da Adapenha, cuja capa se reproduz neste trabalho.

Dentro do âmbito da Educação Ambiental, a Adapenha festeja desde a sua fundação, há 16 anos, o Dia Mundial da Árvore reunindo nos Montes da Penha junto à sua sede social largas centenas de crianças do Primeiro Ciclo do Ensino Básico do concelho de Ponte da Barca, com plantação de árvores, palestra alusiva ao tema e lanche oferecido pela Associação. Este evento já entrou para a Agenda Cultural do município.

Fig64 - ADAPENHA - Concurso "O Limpião" - Capa da Revista

Fig64 – ADAPENHA – Concurso “O Limpião” – Capa da Revista

Como responsável pala Adapenha produzi o Manual de Toponímia da Vila de Ponte da Barca do qual consta também uma resenha histórica de todas as personagens que aí têm referência toponímica. É talvez a única vila do país onde os cidadãos podem facilmente saber quem foram e porque se distinguiram aqueles que a vila honrou perpetuando o seu nome na sua toponímia.

Como deputado independente pelo PS, defendi na Assembleia Municipal temas que se revelaram da maior importância, alguns dos quais ainda estão hoje a atingir a sua realização, como a ponte de Lavradas.

Cap. VIII – Contributos escritos militares ao longo da minha carreira

Muita coisa do que se fez anda dispersa. Aqui apenas apresento trabalhos situados no tempo em que fui comandante e de que tenho lembrança:

IV Semanas da Arma – 1983 – Previsão e Provisão de Transmissões Seguras.

Este trabalho teve em vista alertar para o facto de a defesa da CHERET fora da AT perder credibilidade, com a integração que a tecnologia ia assegurando.

VI Semana da Arma – 1985 – Horizonte 2000 – Realidades Possíveis

Este trabalho, aliás muito contestado na altura, teve por finalidade alertar para que, por mais ambição que se quisesse ter, as tecnologias avançariam mais do que os nossos desejos. Por isso as TM deviam colocar-se na fronteira do possível.

VIII Semana da Arma – 1987 – O SITEP, inauguração do PTAP

Aqui se definem os requisitos, o cenário envolvente e as tecnologias do SITEP.

Técnicas de avaliação de Canal – Neste trabalho dá-se conhecimento da técnica de sondagem oblíqua da ionosfera, que viria a dar o Projecto HF – Tempo Real.

IX Semana da Arma – 1988 – Perspectivas de Integração da Informática na Transmissões.

Neste trabalho se recorre ao modelo OSI e à informática distribuída para demonstrar que uma central de comutação de serviços integrados é um computador específico e que o diálogo entre ela e um computador da informática, num ambiente digital, dependia apenas de protocolos, cada vez mais próximos, depois de implementado o modelo OSI ou equivalentes.

XII Semana da Arma – Exército 2000 – Que Guerra Electrónica

Já me referi ao conteúdo deste trabalho.

IV Encontro de Estudos Militares – 1984 – Reflexões sobre as estruturas das Transmissões do Exército.       

Este trabalho apresenta o cenário envolvente com as entidades exteriores ao Exército e caracteriza um sistema de transmissões que lhe dê resposta.

AFCEA – Portugal Chapter – Pré-requisitos for a communications System Concept

Trata-se de um trabalho que se destinou a satisfazer um compromisso em que o Exército tinha de apresentar um tema de comunicações. Tinha o desencanto de ter de ser escrito e lido em inglês. Em resumo, divulga o SITEP.

Cap. IX – Curriculum Vitae

Nome: Manuel da Cruz Fernandes

Data de nascimento: 02/03/1935

Situação Militar: coronel Eng.º Tm, Reforma

Funções Actuais: Jornalista e Director Adjunto de “O Povo da Barca”

Presidente da Adapenha, ONGA da área do Ambiente.

I – Carreira Militar

Academia Militar (1960/1964)

Curso de Oficial

BT – 1968/70

Cmdt CRE

Chefe Svc. TPF

Instrutor de GE

RMM – 1970/74

Cmdt CTm do CMD CHEFE

Cmdt CI

Chefe Gab. Estudos e Projectos

Of Tm do CMD CHEFE

Of Tm COFI

RMC – 1975/76

Chefe do Destacamento de Especialistas Politécnicos

Co-autor do Estudo: Quadro Humano da RMC

RTm – 1976

Projectista de Redes de Telecomunicações e Som de PU

EMGFA/DICE – 1977/80

Ch. Sec. Feixes e Linhas

Repres. Nacional na ALLA (ALLA Member)

Deleg. aos ALLA Working Groups

EMGFA/CEIOTAN 1978/80

Vogal Técnico e Fiscal de Telecomunicações, onde se destaca a instalação e o ensaio dos sistemas de comunicações para controlo da aproximação e de descolagem de aeronaves militares do aeroporto de Porto Santo.

DAT – 1980/82

Chefe Rep Estudos Gerais

Coord. do Exército das Agências ATCA, ALLA, ADSI e ARFSA

Membro e Representante Nacional na ATCA.

RTm – 1980/89

2.º Comandante (1982/84)

Comandante (1984/89)

Chefe do STM (1984/89)

Director do Programa ED – 01.1 da LPM (SITEP) (1984/1989)

DAT -1989/93

Adjunto do Director (1989/90)

Inspector Tm (1991/93)

Membro Nacional e Conselheiro Sénior de Guerra Electrónica do NAAG

Director do Programa 46.1 – GE

Representante da DAT na Reestruturação do Exército.

Participação na preparação da ONU MOZ PEACE KEEPING OPERATION.

Responsável pela limpeza electrónica do Centro Cultural de Belém (CCB) (construção e funcionamento)

Louvores e condecorações militares:

11 Louvores e 5 condecorações

II – Cursos e estágios

Militares

Ciências Militares da AM (1960/64)

Guerra Electrónica – Anzio (1968)

Material e Segurança Cripto

Aperfeiçoamento de Comando e Direcção (IAEM)

Civis

Engenharia Electrotécnica (IST) (1964/67)

Companhia Nacional de Electricidade (CNE) -1965

Sociedade Anónima de Transmissão (RARET) – 1966

III – Funções Civis e Governamentais

Direcção dos Serviços Radioeléctricos – CTT (1968/70)

Investigação de Propagação em HF

Instrutor de Aperfeiçoamento de Técnicas HF

Escola Comercial Neutel Abreu (1970/74)

Professor: Electricidade e Projecto

Câmara Municipal de António Enes (1971/74)

Consultor: Electricidade;

Fiscal: Remodelação Rede Eléctrica de AT e Central Geradora

Direcção Distrital de Obras de Moçambique (1972/74)

Fiscal: Obras de Electricidade

Governo de Macau (1982/89)

Consultor de Telecomunicações

Projecto, Responsabilidade Técnica e Fiscalização: Sistema de Comunicações Integrado do Governo e das Forças de Segurança de Macau

Gabinete da Área de Sines (1988/89)

Consultor de Telecomunicações

Projectista: Rede Radiotelefónica

Governo – Despacho conjunto do 1.º Ministro e do Ministro da Defesa Nacional.25/5/90

Estudo, configuração e segurança das comunicações contra radiações indesejáveis e fuga de informação electrónica.

1. Na construção do Centro Cultural de Belém: Consultor

2. Nas 15 reuniões de alto nível da Presidência Portuguesa da CEE: Definição das áreas de alta segurança e procedimentos de limpeza electrónica.

NAIPTEL – (1991)

Delegado do Exército

 

Cap. X – Agradecimentos

O que fica escrito não refere as relações que estabelecem a importância que a acção de muitos dos meus camaradas teve, quer no sucesso das acções do meu comando, quer do caminho que me conduziu à direcção do SITEP.

É precisamente desse aspecto que vou tratar a seguir. A sequência que uso não tem necessariamente que ver com a importância que teve cada um dos meus camaradas com o que acabou por acontecer. Está apenas aproximadamente ligada com o momento da intervenção de cada um deles e nada mais.

General Garcia dos Santos: Sempre colocou o meu nome entre os oficiais que em seu entender deveriam ser chamados aos Estudos das Transmissões. Por isso lhe devo o reconhecimento por essa confiança;

General Pereira Pinto: Que partilhou e manifestou de idêntica opinião e foi sob a sua direcção, como Director da Arma de Transmissões, que fui enviado à Alemanha e à Bélgica para avaliar as transmissões desses países, me enviou ao RTm para fazer os primeiros projectos de Rede Telefónica de PU, me encarregou dos Projectos de Cobertura dos arquipélagos dos Açores e da Madeira e me nomeou para fundar, com os outros Ramos das FA, a Divisão de Comunicações e Electrónica (DICE) do EMGFA.

General Pinto Correia: Desde que chefiou a DICE, onde me encontrava então, foi determinante no que aconteceu nas Transmissões Permanentes porque, apesar de ter estado nos CTT e ter encontrado instalada na AT, quando chegou à Direcção, a corrente de opinião que baseava nos CTT a parte principal das Transmissões Permanentes, apoiou a corrente contrária em que eu me incluía e fez o necessário para que a ideia vingasse. Nomeadamente escutando as teses que lhe foram presentes, facilitando a sua introdução na discussão do EME e promovendo a agilização das promoções de modo a colocar-me em lugar em que pudesse ser provado se as Transmissões eram ou não capazes de tomar o seu destino em suas próprias mãos. Logo que se deu a minha promoção a coronel colocou-me no comando de RTm e na Chefia do STM.

General Firmino Miguel: Teve a decisão fundamental para o arranque do SITEP, mesmo contrariando a opinião do seu Staff. A ele se deve também a ordem de inclusão do SITEP na LPM. A sua confiança na nossa capacidade acabou por contagiar o EME, nomeadamente com a entrada em funcionamento do PTAP. Foi por decisão sua que fui enviado à Itália para apreciar as técnicas de fabrico de feixes digitais neste país e, mais tarde, o acompanhei como convidado pessoal, na sua vista às estruturas da NATO do AFCENT.

General Almeida Viana, sob cuja direcção trabalhei repetidas vezes e que sempre me demonstrou plena confiança e rasgado apoio, quer nos CTT, quer em Macau, quer no Gabinete da Área de Sines, quer na DAT. Daqui, sob a sua Direcção me desloquei a Moçambique em missão de avaliação da capacidade das Transmissões sustentarem as ligações do processo de paz de Moçambique (ONUMOZ PEACE KEEPING OPERATION). Aqui recebi também o seu incentivo para o estudo e implementação da GE na EPT.

General Pedroso Lima: Foi um Director estimulante que conseguiu introduzir um certo estilo de Estado-Maior na forma de dirigir, pondo sempre a qualidade em destaque. Na peugada de anteriores directores na confiança que depositou nos seus servidores, seguiu regras lógicas e precisas de controlo e tomou a defesa frontal dos pareceres que do STM lhe chegavam, quando teve de intervir no processo de decisão.

General Góis Ferreira: Chefiando a DSIE e tendo ideias basicamente estruturadas de forma oposta às que eu defendia quanto à informática e ao seu papel, sempre esteve atento à evolução desta ciência a ponto de abraçar a causa das Transmissões Permanentes e da sua capacidade de integração de processos chegando até a eleger a Integração como tema da Semana da Arma de 1992, ano em que era seu Director.

General Fialho da Rosa: Absolutamente fundamental quando assumi o comando na consolidação do espírito de corpo do pessoal técnico do STM, com cujos jovens oficiais engenheiros mantinha uma relação extremamente rica e de que beneficiei quando este camarada foi movimentado a seu pedido. Deixou atrás de si um património humano que haveria de perdurar e que foi enriquecido com múltiplas experiências de trabalho e de convívio de que mutuamente todos beneficiámos. Este oficial acompanhou-me na apresentação do SITEP ao CEME e em missões de trabalho às RM, para preparação de projectos do SITEP.

General Edorindo Ferreira: Este camarada foi uma pedra fundamental no sucesso da missão do RTm/STM. Como chefe da DIRM e director-adjunto do Programa ED – 01.1 SITEP, foi capaz de dar seguimento ao espírito de corpo e liderança herdados do Fialho da Rosa, sendo ao mesmo tempo possuidor de uma aguda inteligência e de uma capacidade de entrega e resistência à fadiga que lhe permitiam dominar em grau muito elevado especialidades de áreas do conhecimento de outros camaradas. Da forma como aderiu ao meu método de liderança resultou a interpenetração colegial de saberes, geradora de sinergias que a todos enriqueceram. Acompanhou-me em várias missões, nomeadamente às RM/ZM.

Coronel Cordeiro (Verde): Foi o meu primeiro 2.º Comandante. Compreendeu e aderiu completamente ao meu estilo de comando e ocupou-se com zelo da vida da Unidade e dos serviços internos.

Coronel Ferreira da Silva: Foi o meu segundo 2º. Comandante, desempenhando nessa qualidade um trabalho notável. Foi também oficial encarregado de dar continuidade aos projectos de PU, técnica que passou a ser rotina no STM daí em diante. Mais tarde acompanhou-me aos Açores e à Madeira, quando fui encarregado de conduzir os projectos de cobertura daqueles arquipélagos. Também me acompanhou a Briton, à Universidade de Sussex, quando aí nos deslocamos no contexto do SITEP.

Coronel Oliveira Ferreira: Este oficial foi o motor da comutação de serviços integrados e o que melhor captou as minhas referências a esta área do conhecimento no tempo em que ainda muito pouco se falava das novas tecnologias. Foi nessa qualidade escolhido para liderar a equipa que se deslocou à Bélgica para tirar, nas fábricas produtoras do equipamento de comutação, o curso que lhe permitiu acompanhar o fabrico e a assemblagem e, mais tarde, tratar de igual para igual com os engenheiros de outras proveniências (fábrica, CTT, TLP), que melhor dominavam estas áreas do conhecimento. A comutação digital de serviços integrados, sinalização de comando e controlo e interligações entre sistemas de idades tecnológicas diferentes foram áreas em que o Oliveira Ferreira se tornou uma autoridade. Foi fundamental para o PTAP.

Coronel Carlos Rodrigues: Acompanhou o Cap. Oliveira Ferreira no Curso tirado na Bélgica e, mais tarde, na Califórnia para tirar o curso de Crossroads. Tornou-se um especialista na comutação de mensagens e um dos que mais se aproximaram do Oliveira Ferreira e mais de perto emparceirou com ele. O Rodrigues tinha especiais qualidades de trabalho e de resistência, tendo sido um dos oficiais a cujo esforço mais se deveu para que a inauguração do ARTEL se realizasse na data prevista e tivesse sido um sucesso. Já tinha sido fundamental para o PTAP.

Coronel Varela: O então Capitão Varela foi o oficial dos feixes. Primeiro dos analógicos e, depois, dos digitais. O Capitão Varela acompanhou-me em muitas das diligências no país e no estrangeiro, tendentes à escolha das tecnologias disponíveis e preparação dos projectos de implementação dos feixes ópticos no terreno. Pena foi que o trabalho deste oficial tivesse sido cortado a meio, altura em que foi nomeado para a DSIE.

Coronel Carvalheira Porfírio: Este oficial herdou, como capitão, a área de projecto de tecnologia tradicional das redes das PU, mas cedo se familiarizou com a comutação digital e com as fibras ópticas. Para se especializar nestas tecnologias foi enviado à Inglaterra para tirar um curso de Fibras Ópticas. Foi o primeiro oficial do Exército a dominar as técnicas laboratoriais e de campo de projectos englobando redes de fibras ópticas. A sua acção teve influência no aprovisionamento do laboratório de fibras ópticas do RTm. Foi fundamental para o PTAP.

Ten-Coronel Jorge Sales Golias: A sua permanente amizade e camaradagem e a sua honestidade moral e intelectual, intrínsecas, seriam mais do que bastantes para o considerar exemplo entre os pilares que orientaram os meus procedimentos. Ao seu incentivo devo também o ter escrito sobre mim mesmo, o que, para além do possível interesse para a história que isso possa representar, denota a seu favor mais uma prova de amizade desprendida que combina com a sua permanente atitude de leal camaradagem.

Coronel José Canavilhas: Pela sua amizade e pela iniciativa de criação e manutenção do Blogue, o que permite um sítio para publicação da nossa actividade e relato das nossas carreiras.

Major Pequeno: Radioamador e entusiasta do Som, o então capitão Pequeno esteve envolvido na transformação e montagem das viaturas de Som/TV. Para isso, o capitão Pequeno foi deslocado para as oficinas de montagem do estudo por nós executado no RTm, para que fosse obtida uma qualidade sem defeitos. Mais tarde, mercê dos seus conhecimentos de HF, este oficial foi envolvido no Projecto de HF – Tempo Real, ao qual dedicou tudo o que sabia com entusiasmo e bons resultados.

Capitão Félix: O Capitão Félix foi o oficial que detinha os conhecimentos dos sistemas de feixes hertzianos, de tecnologias analógicas. Nessa qualidade, o Capitão Félix foi de grande utilidade, pois permitiu a transferências para a nova geração de oficiais de todos os saberes acumulados na sua cabeça. O STM não tinha registos. Estes só começaram a ser feitos com a entrada em funcionamento da Base de Dados.

Capitão Carmo Domingues: Este oficial foi dedicado, incansável, sabedor e inteligente. Sem ele muitas das obras e transformações do quartel não teriam sido possíveis.

Mor Barroso: Este sargento foi o chefe da classe de Sargentos e um precioso auxiliar do comando. A classe tinha-lhe respeito e a sua disponibilidade para colaborar com o Comando era seguida por toda a classe.

Sargento-ajudante Simões: Notável artificie serralheiro, ao qual se devem muitos trabalhos em ferro forjado existentes na Unidade.

1.º Sargento Silva Pereira: Este sargento foi o representante da Unidade para o desalojamento dos clandestinos que se tinham instalado nos terrenos do Quartel. A forma como se saiu desta incumbência merece esta referência.

A menção a apenas estes camaradas não diminui em nada o muito que outros fizeram em prole da Unidade que todos tanto estimavam. Em trabalho mais desenvolvido, tenciono fazer referências a muitos mais.

Lisboa, 22 de Fevereiro de 2013.

Manuel da Cruz Fernandes
Coronel Engenheiro Transmissões, Ref.

Anúncios

Um comentário a “Coronel Cruz Fernandes – Uma notável história de vida (7)

  1. Exmo Sr. Coronel Cruz Fernandes,

    No seguimento de mensagem anterior, continuo a ler com entusiasmo , e espanto toda a sua história de vida, simplesmente espectacular, muito sinceramente nunca pensei que tivesse tido (e ainda tem), tantas actividades

    É com bastante satisfação que constatei, que no Capítulo dos agradecimentos, estejam os nomes de Sr(s) Oficiais e Sargentos com que trabalhei, e que já mencionei em comentários anteriores,

    – Sr. Coronel Varela (na minha incorporação Sr. Capitão Varela)
    – Sr. Coronel Porfírio (na minha incorporação Sr. Capitão Porfírio)
    – Sr. Capitão Félix (meu superior hierárquico directo)
    – Sr. Capitão Domingos (que muitas vezes dialogámos)
    – Sr. sargento-Mor Barroso (que muitas vezes dialogámos)
    – Sr. 1º sargento Silva Pereira (se é o mesmo, na minha incorporação, era 2º
    Sargento nos feixes Hertzianos)

    Exmº Sr. Coronel Cruz Fernandes, espero que continue a colaborar com este blogue, pois tenho todo o prazer em continuar a ler todo o seu trajecto de vida, quer Militar que Civil, bem como outros artigos publicados pelo Exmº Sr. Coronel Cruz Fernandes, pois é um exemplo a seguir.

    Com todo o respeito, me despeço.
    Ex. 1º cabo Amilcar Delgado 185/82 Rtm
    (Feixes Hertzianos- Compª Manutençãao)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s