WIRELESS SET 38 MKII / Posto 38 (P. 38)


Post do nosso leitor e colaborador Sr João Freitas, recebido por msg:

De origem inglesa, o Wireless Set 38 Mk. II adota em Portugal a designação de “P.38” (Posto 38). Inicialmente concebido como um radio rec/trm para a infantaria, encontrou posteriormente, “abrigo” dentro de alguns veículos blindados com a mesma origem (geralmente acoplado a um Wireless Set 19/P-19/Posto 19, o mesmo aconteceu com o Wireless Set 88, sobre o qual falaremos mais tarde.

O seu desenho e construção muito simples e um certo ar de “feito-à-pressa”, traduzem bem a necessidade que, em tempo de guerra, o Reino Unido teve de rapidamente, mas com alguma qualidade para o fim em vista, produzir aparelhos específicos. Relembra-se aqui que este recetor/transmissor, como o seu nome indica, pertence à família de aparelhos “WIRELESS SET”, do qual Portugal recebeu vários modelos, quase todos de boa memória.

O “Posto-38” completo vendo-se os respetivos auscultadores, laringofones e a caixa de ligação à pilha. (foto do autor)

O “Posto-38” completo vendo-se os respetivos auscultadores, laringofones e a caixa de ligação à pilha. (foto do autor)

Esse ar pouco “abonatório” é realçado por uma caixa exterior em chapa de ferro pré-cortada, dobrada e soldada por pontos. O seu pequeno tamanho levava a que uma das válvulas de emissão funcionasse tão perto do painel frontal, que o seu calor o queimaria numa pequena zona após algumas horas de trabalho. Apesar destas curiosidades cumpriu muitíssimo bem o fim para o qual estava concebido.

Uma das particularidades deste aparelho era, para alem do seu pequeno volume, a forma de transporte muito pouco usual para a época em que foi concebido (1942), consistindo em o seu simples arnês estar preparado para ser fixado aos suspensórios do sistema “Mills” britânico (fabricado em Portugal sob a designação Mod. 1943/44), ficando o radio ao peito do utilizador no seu lado esquerdo (substituindo a cartucheira). Esta inovação, somente cinquenta/sessenta anos depois, se verifica novamente em alguns rádios táticos de última geração. Também de certa forma inovador era a utilização de um laringofone em substituição do clássico microfone, o que deixava as mãos livres ao operador. Ao ombro era levado um saco com os elementos da antena. A grande pilha era transportada às costas numa mochila.

O sistema de transporte referido (transporte ao peito), também foi utilizado num outro aparelho extremamente curioso, contemporâneo e da mesma “família” Wireless Set e que passou também por Portugal, falamos do Wireless Set 58/Posto 58 ou P-58. Dele falaremos mais tarde.

Usando o sistema de sintonia corrida, o WS 38 funcionava, apenas, em fonia na estreita gama dos 7mc/s, aos 9mc/s. Era um aparelho extremamente simples e de uma robustez a toda a prova, possuindo um alcance de aproximadamente 3 km.

A grande pilha de alimentação. Digno de nota a sempre presente marca aposta em todo o material de guerra oriundo da Comunidade Britânica “W/seta/D”. O “W” e o “D” são as iniciais de “War Department”. A seta, designada em inglês de “Broad Arrow”, por vezes também é chamada de “Crow Feet”, ou “Pheon” e é aplicada desde 1870 como símbolo de todo o material pertencente à coroa. Na altura, dependendo da origem (ex. Canadá, Austrália, Índia etc.), a seta teria outras conjugações de letras indicadoras da origem do material (foto do autor)

A grande pilha de alimentação. Digno de nota a sempre presente marca aposta em todo o material de guerra oriundo da Comunidade Britânica “W/seta/D”. O “W” e o “D” são as iniciais de “War Department”. A seta, designada em inglês de “Broad Arrow”, por vezes também é chamada de “Crow Feet”, ou “Pheon” e é aplicada desde 1870 como símbolo de todo o material pertencente à coroa. Dependendo da origem (Canadá, Austrália, Índia etc.), a seta teria outras conjugações de letras indicadoras da origem do material (foto do autor)

A alimentação era realizada através de uma pilha com as tensões de 3 e 150v com duração para cerca de 5 horas. De uma caixa de junção que ligava o radio á referida pilha, partiam também os cabos dos auscultadores e do laringofone. No seu painel frontal tinha apenas dois botões, um de três posições Desligado/Recetor/Emissor e outro para sintonia com possibilidade de bloqueamento. Um sistema rotativo dava hipótese de encaixe para uma das duas antenas disponíveis (1,20m ou 3,60m), não tinha botão de volume.

Um “WS-38” que passou pela Legião Portuguesa (Defesa Civil do Território). Ao fundo observa-se o saco de transporte das duas antenas e a mochila para a pilha e acessórios. Curioso o símbolo esmaltado afixado no rádio com as letras “DCT”, de desenho muito moderno para a altura (anos sessenta?), comparar com o modelo anterior, clássico, aplicado no capacete. (foto do autor)

Um “WS-38” que passou pela Legião Portuguesa (Defesa Civil do Território). Ao fundo observa-se o saco de transporte das duas antenas e a mochila para a pilha e acessórios. Curioso o símbolo esmaltado afixado no rádio com as letras “DCT”, de desenho muito moderno para a altura (anos sessenta?), comparar com o modelo anterior, clássico, aplicado no capacete. (foto do autor)

Pensamos, do muito que se tem lido em documentação geralmente dispersa, que o WS38 não tenha vindo em grande número para Portugal, tendo começado a chegar em 1947/48/49(?), infelizmente nada mais sabemos sobre o “o seu tempo de serviço”. Extrapolando de factos diversos julgamos que apenas terá visto os primeiros anos da década de sessenta, pois o aparecimento de novos modelos, de técnica mais apurada obrigou, a este antigo herói da Segunda Guerra, a passar á reforma que tardava. Sabemos que em fim de vida vem a equipar, por cedência do exército, a Legião Portuguesa (Defesa Civil do Território, pintados de um verde mais claro) e a Mocidade Portuguesa, tendo nesta ultima alguma utilidade na instrução de graduados.

Em vários anúncios de revistas (*) inglesas de 1959, um conjunto completo e novo do WS38 vendia-se, livremente, por pouco mais de uma libra!

Portugal também teve o Wireless Set 38 Mk. III, como é um modelo evolutivo totalmente diferente, trataremos dele posteriormente, não podendo juntar os dois modelos num mesmo artigo.

(*) ex. Wireless World Electronics, de Maio de1959

Anúncios

Um comentário a “WIRELESS SET 38 MKII / Posto 38 (P. 38)

  1. Segundo indicação do meu amigo Luiz Fernando, a quem pertence este aparelho, por lapso indiquei que o símbolo esmaltado no WS38 da “Legião” quereria dizer “Defesa Civil do Território”. De facto tal não é verdade, pois representa de forma estilizada as letras “CCT” e não “DCT” como indiquei. “CCT” serão as iniciais de “Centro de Cooperação Técnica” que era o importador destes (e de outros) aparelhos, vendidos às nossas F. Armadas.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s