Rede telegráfica militar- fim séc. XIX – 1ª parte


De acordo com o livro do Tenente de Engenharia Carlos Augusto de Sá Carneiro, publicado em 1897, sobre as linhas telegráficas do Continente do Reino, Ilhas Adjacentes e Províncias Ultramarinas, a rede militar compreendia a rede geral e as redes especiais de Lisboa e Porto.

aaaa 001

Apresentámos a sua descrição

linhas telegráficas 30 e 31 001 - Cópia

linhas telegráficas 32 e 33 001 - Cópia - Cópia

linhas telegráficas 32 e 33 001 - Cópia

rede lisboa 001

rede do port 001 - Cópia

Da leitura deste documento destaca-se que só havia rede telegráfica exclusivamente militar em Lisboa e Porto e que o Exército ainda não tinha redes telefónicas, tendo apenas algumas ligações telefónicas ponto a ponto em Lisboa e Porto, e uma ligação telefónica em Elvas.

Anúncios

3 comentários a “Rede telegráfica militar- fim séc. XIX – 1ª parte

  1. Afonso do Paço, a pág, 67 do seu livro, citando um relatório da Inspeção dos Telégrafos Militares de 1902 indica que, na cidade do Porto, havia 2 ligações telefónicas ponto a ponto estabelecidas: uma do Quartel General para o Regimento de Infantaria 6 e outra do Quartel General para o Regimento de Infantaria 18. Havia também uma linha telefónica entre o Quartel General e S. Bento ,destinada a uma ligação telefónica em projeto.

  2. Em relação à conclusão que tirei, vou corrigir, só há referência a ligações telefónicas ponto a ponto em Lisboa e Elvas. A fonte é a pág.33 , apresentada no meu post, quando refere as redes especiais de Lisboa, segundo parágrafo, e Elvas.

  3. Neste post, o coronel Costa Dias apresenta as conclusões que tirou de um livro do tenente de Engenharia Sá Carneiro, publicado em 1897, de que, no post, transcreve a parte dedicada às redes militqares de telegrafia elétrica.

    Nas conclusões refere.. “ o Exército ainda não tinha redes telefónicas, tendo apenas algumas ligações telefónicas ponto a ponto em Lisboa e Porto, e uma ligação telefónica em Elvas”

    Para mim esta conclusão foi uma surpresa pois estava convencido que no século XIX só se tinham feito, no Exército, experiências de telefones e que os primeiros telefones instalados nas redes militares tinham sido no século XX, já com a Engenharia à frente dos destinos das Transmissões Permanentes,.(como se afirma na pág. 35 do nosso livro).

    Costa Dias vem chamar a atenção para o facto de que, antes de as redes telefónicas militares de Lisboa e Porto terem sido inauguradas já havia, nestas duas cidades e em Elvas ,ligações telefónicas ponto a ponto que, em 1894 (data do curso para sargentos a que se refere o livro) já existiam, ou seja 10 anos antes da inauguração das redes telegráficas militares de Lisboa e Porto.

    Sobre estas ligações telefónicas ponto a ponto anteriores a 1904, ( e que dão a Elvas um estatuto só comparável com Lisboa e Porto) as únicas indicações que conheço encontrei-as no livro de Afonso do Paço (pág. 67 e 75) e referem-se ao ano de 1902 (o que não quer dizer que as ligações não existissem antes).

    Solicito ao coronel Costa Dias que indique a fonte onde encontrou a referência às ligações ponto a ponto anteriores a 1904 e, se possível, o ano do seu início, o que, desde já, aproveito para agradecer

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s