Início da TSF em Portugal


Em 1899 é nomeado o engenheiro Sá Carneiro, então tenente da companhia de telegrafistas,para tratar e propor a aquisição do material necessário ao estudo experimental de comunicações TSF. O primeiro material foi encomendado ao conhecido e especializado fabricante francês E. Ducretet. O material entregue foi:

O EMISSOR constítuido por um manipulador, um oscilador, uma antena e uma ligação à terra. Este emissor era idêntico aos empregues por Hertz nas suas célebres experiências,

O RECEPTOR pelo som era um aparelho portátil designado por RECEPTOR RÁDIO TELEFÓNICO POPOV-DUCRETET, onde em lugar do tubo de Branly era empregue um revelador de agulhas

Foram realizadas as primeiras experiências T.S.F no início de 1901 na parada do Quartel dos Quatro Caminhos (hoje Regimento de Transmissões) com aparelhos emissores e receptores Ducretet-Popov, a 17 de Abril do mesmo ano realizaram-se novas experiências entre a Raposeira e o Forte do Alto do Duque, noticiadas no jornal Diário de Noticias de 18 de Abril.


Anúncios

2 comentários a “Início da TSF em Portugal

  1. Está no início a reorganização da Coleção Visitável do RTm, em que a CHT está empenhada, a pedido e com a colaboração do RTm que pretende a sua reabertura ao público em setembro de 2012.
    O módulo correspondente ao período de 1901 a 1951 (entre a passagem das Tm para a Engenharia e a criação do STM) ainda está por definir em pormenor.
    Penso que este post é oportuno pois vem chamar a atenção para a necessidade e, na Coleção Visitàvel, se dar à primeira experiência de TSF em Portugal o devido relevo, o que, como se sabe, não tem acontecido.

  2. Depois dos testes com os Ducretet-Popov realizados no quartel dos 4 caminhos, Rua de Sapadores, esta ‘lacónica’ notícia do DN dá-nos conta de uma demonstração pioneira da TSF em Portugal, levada a cabo entre o forte do Alto do Duque, construido em 1890 (a ‘norte’, como se diz ali), onde os responsáveis foram o Cap Severo da Cunha e o Ten Salvador de Sá, e a bateria da Raposeira (de 1893), na Trafaria (a ‘sul’), onde se encontrava o Ten Alvares. Apesar da novidade para a época (Abril de 1901), parece que uma tal notícia não mereceu, e mereceria, um pouco mais de destaque. Mas fica para a história. Tal como o equipamento, que faz hoje parte da coleção visitável do RTm.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s